terça-feira, 22 de novembro de 2016

Protagonismo Negro

Olá, pessoal!
Nossa, há meses não posto nesse blog, que tragédia!!
Isso é bem ruim.
Mas enfim, tentarei postar com certa frequência. Mas vamos ao que interessa.
Dia 20/11 foi o Dia da Consciência Negra. Serve não só para exaltar a cultura negra, mas para nos fazer refletir sobre a importância do negro para nossa sociedade e sobre como ela ainda é podre. Mesmo que a escravidão não "exista" há séculos, ainda existem vestígios dela. negros ainda recebem menos. Ainda não tem as mesmas oportunidades de educação. De emprego. De ocupar cargos de chefia. Ainda não tem o respeito que merecem.
E isso ainda pode ser visto com o pouco protagonismo negros da tv e no cinema. em geral brancos de olhos claros ganham papéis principais. E se tratando de retratar negros, escolhem atores/atrizes brancos - há muitos, muitos exemplos por aí. é raro vermos negros ganhando destaque e isso tem que mudar. Existem muitos atores e atrizes negros cheios de talento, que só precisam de uma oportunidade pra se mostrarem de que merecem ser protagonistas. Os brancos roubaram dos negros por tempos demais.
Mas não vim aqui desabafar sobre como os negros merecem respeito. Vim aqui destacar alguns momentos nos quias eles são protagonistas - alguns de sua própria história, como deve ser.
Começando por alguns filmes.

Um Príncipe em Nova York (1988)



Filme que já passou na Sessão da Tarde, mas que é bem bacana. É uma comédia estrelada por Eddie Murph. Ele interpreta Akeen, príncipe de Zamunda, país fictício da África. Ao completar 21 anos, ele deve escolher uma esposa, cuja candidata já foi escolhida por seus pais. Ele conversa com os pais a respeito de fazer as coisas sozinho. eles tem empregados pra tudo. Akeen nem escova os dentes sozinho!  Incomodado com isso, ele conversa com os pais sobre viajar para encontrar uma esposa. Seus pais permitem e ele parte para Nova York com seu amigo Seemi e lá ele quer levar uma vida comum. Assim ele arranja um emprego no McDowell's.
Se eu contar mais estraga haha
Enfim, é uma comédia, mas está aqui não apenas por ter um protagonista negro, mas por quase todo o elenco negro. O rei de Zamunda, pai de Akeen, é interpretado por ninguém menos do que James Earl Jones! Quem é esse? Apenas a voz de Darth Vader. Apenas <3
Vale a pena ver esse filme, risadas garantidas.

O Rapto do menino Dourado (1986)



Outro com Eddie Murph de protagonista. O elenco não tem maioria negra dessa vez, mas podemos ver um pouco de diversidade com asiáticos.
O filme fala de uma garotinho indiano com poderes especiais, sequestrado por um bruxo e levado aos EUA, onde mora o detetive (Eddie Murph), especializado em crianças desaparecidas. Uma moça chamada Keen Nang o procura, mas, ele não crê nessa história de poderes e tal, mas depois de um tempo se convence e se junta a ela no resgate do garoto.

O Último Rei da Escócia (2006)



Apesar do protagonista ser branco, temos aqui um negro com papel de destaque. James McAvoy interpreta um médico que vai até Uganda da década de 70, onde terminar por ser o médico pessoal do ditador da época Idi Amim Dada. O filme rendeu o Oscar a Forest Whitaker, olhem só!  Mesmo que a história tenha ponto de vista de um branco, é importante vermos que África não é só savana. tem culturas próprias, governos próprios (se são justos ou não não é o foco do texto). Tem diversidade.
Eu não assisti esse filme, mas deve valer a pena pelo teor histórico.

Hotel Ruanda (2004)

Resultado de imagem

Existem cenas de tensão que te deixam apreensivos, e existem as cenas desse filme. Cara, o filme me deixou tensa. Tensa mesmo. O tempo todo.
O filme retrata a história REAL de Paul Rusesabagina, gerente do Hotel Les Mille Collines, na cidade de Kigali, em Ruanda.
Dez anos antes desse filme, houve um atentado contra o governador do país, que morreu. Então, a etnia hutu se voltou contra a etnia tutsi, provocando um dos maiores massacres da história do pais. Cerca de um milhão de pessoas morreram! an tentativa de proteger sua família e alguns vizinhos, ele abre o hotel para refugiados, chegando a abrigar 1268 pessoas. Ele ganhou prêmio por isso.
Temos aqui protagonismo negro. Negro contando história de negro, como deve ser!
Palmas para atuação do Don Cheadle! Opa, esse nome lhes lembra algo?? É o Rhodes/ Máquina de Combate de Guerra Civil!

A Cor Púrpura (1985)

Resultado de imagem

Adaptação do romance de Alice Walker, conta a história de Celie (Whoopi Goldberg), uma garota do sul dos EUA que é estuprada pelo pai, tendo dois filhos com ele, sendo logo separada deles e da irmã Nettie. Vendida para um homem tão lixo quanto o pai, só tem um pouco de paz quando escreve cartas a deus e a irmã. Com o tempo, ela conhece Shug, amante do marido, e Sophia, É um filme bem forte, trata o racismo e o machismo de forma bem crua. Foi o primeiro filme da Oprah Winfrey (ela fez a Sophia), e foi indicada ao Oscar de Melhor atriz Coadjuvante. O filme recebeu onze indicações e não ganhou nenhuma. Sabemos como essas premiações podem injustas, né?

Cidade de Deus (2002)



Filme nacional! Dirigido por Fernando Meireles, o filme conta a história da favela de mesmo nome, que fica no Rio de Janeiro. Retrata o nascimento do local, bem como o crescimento do crime organizado. É narrada por Buscapé, um morador. A história começa na sua infância, nos anos 60, com a CDD crescendo, os crimes e a rivalidade entre Zé Pequeno e Cenoura. Foi adaptado do livro de mesmo nome de Paulo Lins, mas o livro foi baseado em fatos reais.
História de negro contada por negro! Negro tendo voz! Negro contando sua própria história, como deve ser.

Claro que ainda existem outros filmes protagonizados por negros: À Procura da Felicidade, Hitch: Conselheiro Amoroso - os dois com Will Smith -, Colombiana, com Zoe Saldana,  Vovó...Zona com Martin Lawrence, As Branquelas, com os irmãos Wayans (não sei quais haha) 12 Anos de Escravidão, com Lupita Nyon'go... Existem outros, mas são poucos comparados aos filmes protagonizados por brancos. Como disse Viola Rainha Davis: "A única coisa que diferencia as mulheres negras de qualquer pessoa é a oportunidade". essa oportunidade foi negada por tempo demais.

Agora vamos às séries

How to Get Away With Murder (2014 - ...)

Resultado de imagem

Falando na Viola, olha ela! Nunca assisti essa série, mas se Viola ganhou um Emmy por ela, deve ser boa. A série conta a rotina de uma turma do curso de Direito e sua professora de Direito Penal, Annelise (interpretada por Viola). Ao que parece uma trama de assassinato ronda essa turma.

Scandal (2012)


Resultado de imagem para scandal

Drama político estrelado por Kerry Wasington, que interpreta Olivia Pope, ex-funcionária da Casa Branca que tem uma empresa de gerenciamento de crise. Também nunca assisti haha Essa série e How to Get Away With Murder são criações de Shonda Rhimes. Além delas, ela ainda criou Grey's Anathomy! essa mulher não para? haha

Luke Cage (2016-...)



Terceira série da parceria entre Marvel e Netflix (Deus abençoe). Luke é um ex-condenado que quer apenas uma vida tranquila, mas termina por se tornar um combatente do crime. Ele tem força sobrehumana e pele impenetrável. ele apareceu primeiro em Jessica Jones, segunda série da parceria Marvel-Netflix. Se passa no Harlem e vemos que quase todo o elenco da série é negro, bem como o local respira cultura negra. Preciso terminar de ver.

Um Maluco no Pedaço (1990 - 1996)


Resultado de imagem

Hahaha, comédia dos anos 90 que todos viam!
E olha o Will Smith!
Pois é, a série que conta sobre o rapaz que vai morar com os tios em Bel Air tem todo seu elenco composto por negros. Foi o que alavancou a carreira de Will Smith. Todos aqui já viram essa série em algum momento.
Outras séries protagonizadas por negros é Kenan & Kell, Eu, a Patroa e as Crianças, As Visões da Raven,..
Espero que negros ganhem o merecido destaque não apenas no cinema, ams em qualquer área que trabalharem, por que ele merecem. Por que são capazes.
Que um dia o racismo seja coisa do passado.

Bem, aí estão, filmes e séries protagonizados por negros. Espero que tenham gostado :)


sábado, 18 de julho de 2015

Cidades de Papel



Dias e dias sem postar, dias e dias sem escrever uma palavra. Coisas da faculdade, enfim. Sem falar que não tenho lido nem visto tantos filmes.
Mas eis que hoje eu fui ao cinema assistir Cidades de Papel, mais uma adaptação de mais um livro do John Green.


Sinopse do livro:

"Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. 
Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia."
Li algumas semanas antes de estrear atrás e devo dizer que gostei, apesar de preferir A Culpa É das estrelas e Quem É Você, Alasca?, mas a história é bacana, me fez querer ler pra saber o final logo (que me surpreendeu de leve). e fiquei esperando o filme um tanto ansiosamente.
 Bem, ele não vai logo procurá-la, já que ele não sabia dos planos dela. Até que, como tem na sinopse do livro, ele começa a ver certas pistas e aí chama seus amigos Radar e Ben, que chamam Angela (namorada do Radar) e Lacey (amiga de Margo) para irem até onde as pistas terminavam.
O livro não se trata apenas de procurar Margo. Se trata de sair da zona de conforto e de ver que as pessoas não são exatamente como você imagina. Conhecendo a pessoa melhor, você pode ter uma ideia totalmente diferente dela.


No filme, Quentin é interpretado por Nat Wolff (A Culpa É Das Estrelas - ele fez o Isaac, o que teve câncer nos olhos e amigo do Augustus, interpretado por Ansel Elgort) e Cara Delenvigne, que também é modelo. É o primeiro filme com ela que assisto, então não falar tanto da atuação dela. Acho que ela combinou com a personagem. A adaptação ficou bem fiel, apesar da leve (?) mudança no final. Algumas cenas foram deixadas de fora, mas isso não faz o filme ser ruim. As cenas que passavam na minha cabeça enquanto lia foram bem semelhantes às que vi na tela, mas imaginei Radar e Ben um tanto diferente, bem como a Angela. Sobre o Nat: gostei da atuação dele n'A Culpa e também achei que ele fez um bom Quentin. Quando eu li, eu imaginava-o agindo como no filme. Pra mim, ele consegui captar bem a personalidade do Q. O mesmo digo para os atores que fizeram radar, Ben, Angela e Lacey. Se saíram muito bem. Gostei também da trilha sonora, achei muito boa, e o humor está excelente, até em dose maior que no livro.
Cidade de Papel funciona bem como adaptação, mesmo com as eventuais mudanças na ordem de alguns fatos ou de diálogo.

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Os Vingadores: A Era de Ultron



Oi, vocês.
Depois de um bom tempo decidindo sobre o que postar, trago aqui uma resenha de um filme que estreou no final de abril, mas ainda assim vou resenhar.
Falarei de Os Vingadores: A Era de Ultron


Um dos filmes mais esperados do ano, Os Vingadores foi escrito e dirigido por Joss Whedon, é sucessor de Guardiões da Galáxia e acontecer um tempo após os eventos deste.

O filme começa com a equipe  um posto da Hidra e encontram dois irmãos com que foram realizados experimentos: Pietro (Aaron Paul) e Wanda (Elizabeth Olsen) Maximmoff. Ele tem velocidade sobre-humana e ela manipula mente e lança rajadas de energia. Após isso, ele recuperam o cetro de Loki e Bruce Banner/Hulk (Mark Rufallo) e Tony Stark/Homem de Ferro (Robert Downey Jr) descobrem que há uma inteligência artificial e a usam para um projeto chamado de Ultron.
Durante uma festa, Tony deixa Ultron (James Spader) sob os cuidados de Jarvis (Paul Bettany). Ultron adquire consciência própria, e quando Jarvis tenta contê-lo,  Ultron o destrói e vai embora.
Nesse meio-tempo, ele, com corpo próprio, se junta aos Maximoff e os três vão de encontro aos Vingadores, enquanto ele vai criando outros corpos, a fim de evoluir e melhorar, ficar mais forte, mais rápido. isso por que ele começa a ver a humanidade como ameaça, ainda antes de sair da torre dos Vingadores. Cabe agora aos Vingadores contê-lo e mostrar que está errado. Ou mostrar que pode estar certo e contê-lo assim mesmo.



Batalhas épicas, diálogos sensacionais e atuações brilhantes dignos de um filme da Marvel. Reencontramos Thor (Chris Hemswhort), Capitão América/Steve Rogers (Chris Evans), Viúva Negra/Natasha Romanoff (Scarlet Johanson), Gavião Arqueiro/ Clint BArton (Jeremy Renner), Falcão/ Sam Wilson (Anthony Makie), além dos inesquecíveis Nicky Fury (Samuel L Jackson) e Maria Hill (Cobie Smulders), entre outros. Conhecemos um pouco mais do Gavião Arqueiro no decorrer da história, e um pouco da Viúve Negra durante a manipulação mental da Feiticeira Escarlate (a Wanda). Sem falar na aparição do mestre Stan Lee.
Saí da sala do cinema já querendo o dvd.
Pra quem não assistiu: VEJA ATÉ DEPOIS DOS CRÉDITOS. Isso vale pra qualquer filme da Marvel.

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Interestelar

Nossa, quanto tempo não posto aqui!

Para tirar um pouco as teias de aranha daqui, trago-lhes um filme do ano passado e que fez relativo sucesso.

Dirigido por Christopher Nolan, escrito por ele e seu irmão, Jonathan, a resenha da vez será de Interestelar.



Quando Christopher Nolan lança um filme, criam-se expectativas, pois em geral ele faz bons filmes, a exemplo da trilogia Cavaleiro das Trevas, A Origem e O Grande Truque. Com Interestelar não foi diferente, apesar de algumas críticas negativas.

O filme mostra uma Terra devastada pelo aquecimento global e por pragas que destroem as plantações, pondo a vida humana em risco. Nessa Terra vive Copper (Matthew McConaughey  - True Detective, Clube de Compras Dallas), um viúvo com dois filhos, Tom (Casey Aflleck) e Muprh (Mackenzie Foy/Jessica Chastain). 

Ele mora numa fazendo com os filos e o sogro, onde por vezes ocorrem tempestades de poeira, o que põe em risco a saúde da família. Ele era engenheiro e piloto da NASA, mas com o aumento da fome e das pragas, a profissão caiu em desuso, e ele torna-se fazendeiro.

Muprh acredita que há um fantasma em seu quarto, sendo desacreditada por seu pai e caçoada pelo irmão (principalmente pelo nome). Porém, pai e filha descobrem que na verdade os livros caem devido a uma anormalidade na gravidade. E mais, que os livros e poeira se arrumam em código morse, o qual eles decifram. O código é uma coordenada geográfica, que os leva a uma sede secreta da Nasa.

Depois de explicarem como chegaram num lugar secreto, é revelado que missões são enviadas regularmente aos confins da galáxia através de um buraco de minhoca (um atalho no espaço-tempo)  perto da Saturno com o objetivo de encontrar possíveis planetas compatíveis com a vida na Terra. E Cooper é recrutado para uma dessas missões, na companhia da dra. Amelia Brand (Anne Hathaway - Batman O Cavaleiro das Trevas Ressurge, O Diabo Veste Prada, Os Miseráveis) e dos físicos Doyle e Romily.

Com muita relutância e sabendo que poderia não mais ver os filhos, Cooper aceita a missão, para a tristeza da pequena Murph. Com base em dados das missões anteriores, que apontam alguns planetas em potencial, e também para encontrar os astronautas que lideraram essas missões, eles partem rumo a esses planetas.

Na medida que a missão a avança, vemos a dificuldade que os astronautas enfrentam, seja em planetas inóspitos, seja em locais cujo tempo é dilatado (uma hora naquele lugar equivalendo a anos terrestres). Vemos também como a terra vai ficando com o passar do tempo, como a solução para as pragas agrícolas é buscada e também nossa pequenez diante do Universo e de como o tempo é relativo, seja aqui na Terra, seja do outro lado da galáxia.

Apesar de alguns conceitos parecerem complicados, vale a pena assistir Interestelar. Os burburinho em torno do filme não foi em vão. De fato, Nolan fez um ótimo trabalho.

sexta-feira, 6 de junho de 2014

O show de Truman

Depois de muito tempo sem vir, trago pra vocês mais uma resenha.

O show de Truman é um filme de 1998, dirigido por Peter Weir e escrito por Andrew Nicol   estrelado por Jim Carrey, Laura Lanney e Ed Harris.



Truman Burback é um executivo cuja vida inteira é assisti da por espectadores do mundo todo. Através de câmeras espalhadas pela cidade fictícia, Truman é constantemente filmado,24 horas por dia, o tempo todo. sem saber. A cidade, sua esposa, seus pais, amigos, tudo ao seu redor é uma ilusão. É um reality show em tempo integral.

Até que, durante seu 30º aniversário, Truman começa perceber que fatos estranhos estão acontecendo. Pela manhã um refletor cai do céu. Depois, ele percebe que que algumas pessoas estão monitorando seu movimento ao escutar o rádio do carro.  Ele começa a achar que o mundo parece girar a sua volta. Sempre que ele tenta sair da cidade, alguma coisa o impede, sua esposa age estranho, ainda mais quando compra algo novo,  ele acha que viu seu pai, falecido após uma tempestade.

O criador do programa tenta a todo custo impedir que ele saia da cidade, mas Truman é determinado e faz de tudo para descobrir a verdade sobre sua vida, e principalmente, encontrar Sylvia, uma atriz figurante que foi tirada do programa após tentar revelar que a vida dele era um reality show.

Por vezes vemos alguns espectadores e cenas dos bastidores do show. Pessoas em bares acompanham  com olhos atentos cada movimento do astro. Equipes de centenas de pessoas trabalham duro para transmitir tudo e manter o programa no ar.

É um filme realmente bacana, com cenas engraçadas, bons diálogos, e atuações magníficas do Jim e do Ed. Sem falar que houve relatos de esquizofrênicos que pensavam que suas vidas eram um reality show e fizeram coisas estranha (tipo, ir a NY ver se o WTC realmente caiu ou escalar a estátua da Liberdade acreditando que verá uma pessoa e ser libertado).

E traz uma mensagem bacana sobre a busca por si mesmo, pela sua verdade e sobre o que é real e o que não é.

Recomendo :)

domingo, 11 de maio de 2014

Mama

Oi.
Depois de tanto tempo sem postar, aqui venho mais uma vez tirar a poeira do blog rs
Como hoje é dia das mães, o post será sobre elas.
Falarei sobre algumas mães da ficção, as que acho mais legais, ou nem tanto.

Molly Weasley - Harry Potter

Fonte

Mãe de Gui, Carlinhos, Percy, Fred, Jorge, Rony e Gina. Acolheu Harry como filho e o recebeu de braços aberto na sua casa. Excelente cozinheira, mãe zelosa e amorosa, faz de tudo pra dar um bom lar, boa educação e amor pros seus filhos junto com seu marido e pai das crianças, Arthur.
Depois da cena do gif, amamos Molly ainda mais. <3

Catelyn Tully - Game of Thrones/As Crônicas de Gelo e Fogo

Fonte

Mãe de Robb, Sansa, Bran, Arya e Rickon; Esposa de Eddard Stark, filha de Hoster Tully, senhor de Correrio, lady de Winterfell e mãe do Rei do Norte. Após seu casamento, assumiu a postura forte dos Stark, até por que Winterfell é frio e duro. Isso fez com que se tornasse mais corajosa e zelosa. Não hesitou em procurar o culpado pelo que aconteceu ao Bran e foi capaz de ir até o fim. Embora eu ache que deveria ter prestado mas atenção nos outros filhos. Afinal, ela deixou Sansa, Arya, Bran e Rickon sozinhos em Winterfell e seguiu Robb na busca pelo culpado da queda de Bran. Enfim, quem assiste sabe no que deu.
Mesmo assim, Catelyn é maravilhosa <3

Cersei Lannister - Game od Thrones/As Crônicas de Gelo e Fogo

Fonte

Mãe de Joffrey, Tommem e Myrcella. Esposa de Robert Baratheon, rei dos Sete Reinos, protetor do território e quem senta no trono de ferro de Porto Real e um babaca. Não chega ser como Catelyn, que impõe limites educa seus filhos. Cersei é amargurada por que
a) não queria casar com Robet
b) não amava o marido
c) não era amada

Quem lê, assiste sabe que Cersei deu limites pros filhos, apesar de amá-los de todo coração. "Só ame seus filhos e mais ninguém", diz ela para Sansa. E Robet amava outra pessoa e bem na noite de núpcias ele a chama pelo nome dessa outra (que já estava morta), dentre outras coisas que tem que aguentar. Dá pra entender sua amargura, mas não deixa de ser uma vaca arrogante xDè o tipo de personagem que todos amam, ou amam odiar (tipo eu).

Sra. Coppet - The Big Bang Theory

Fonte

Mãe de Sheldon e Missy (que só aparece uma vez, creio). Mora no Texas e sempre se preocupa com Shelly (é assim que ela o chama). Ela é católica, ele é ateu, mas nem por isso deixam de ser fofos juntos. Ela quem catava Soft Kitty pra ele quando ficava doente (ainda canta, quando está por perto) e diz que fez teste nele, que concluíram que ele não é louco.
A sra. Copper é uma graças, sempre recebe os amigos do Sheldon de braços abertos e os socorre quando Sheldon endoida demais haha.

Natalie Prior - Divergente

Fonte

Mãe de Beatrice e Caleb, esposa de Andrew. São da Abnegação e sempre tentam criar seus filhos da maneira mais correta, ensinando-lhes os valores da facção, a serem gentis com as pessoas e solidários.
Quem leu o livro sabe que elas se separam, mas as duas continuam tendo uma relação próxima. "Eu te amo. Não importa o que aconteça.", diz Natalie.
Pode não são carinhosa, mas é uma mãe cuidadosa, gentil e com certeza faz tudo pros filhos ficarem bem.

Bem, essas foram as mães rs
Tem muitas, outras, mas escolhi essas, de sagas diferentes pra variar :)
Feliz Dia das Mães pra todas as mães e pais que também são mães

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Pompéia

Oi, oi!
Como vão?
Aqui as coisas vão bem. As aulas começaram, já tem trabalho do semestre, então e hora de  ter foco nos estudos.
Pois bem, o post de hoje vai ser para falar de um filme que estreou ontem.
Pompéia.

Mas antes, um pouco de viagem no tempo.
Pompéia foi uma cidade do Império Romano que ficava a 22km de Nápoles, onde hoje está a Itália. Para os que se lembram, ela foi destruída durante a erupção do vulcão Vesúvio.
Mas Lua, você contou o final do filme!
O filme se chama POMPÉIA, o que esperavam?
Pois bem. Isso é o pano de fundo, o filme não foca exatamente no vulcão. Ele mostra a rotina do povo daquela cidade antes disso.
No começo vemos uma rebelião do povo celta sendo repelida pelos romanos. Todos são mortos, e apenas um garoto sobrevive, fingindo-se de morto. Anos depois, ele se torna escravo e se destaca quando derrota um grupo de outros escravo e guardas romanos. Aí, ele, junto com outros escravos, vão a Pompéia como gladiadores (lembraram daquele filme com Russel Crowe?).
Gladiadores, Lua?
Sim. Pra quem não lembra ou não sabe, gladiadores eram escravos/ prisioneiros de guerra do império romano que eram obrigados a lutarem uns contra os outros ou contra animais (tigres, ursos, etc) para entreter o público romano.
Voltemos ao filme
Esse grupo de gladiadores vão a Pompéia para entreter o público durante as festividades.
Mas o que falta para que esse filme atraia um público mais amplo?
Cenas de ação: ok
Mortes: ok
Sangue: ok
Ah, sim: história de amor. Ok.
A história de amor é daquelas que tem um muitos outros filmes. Alguma coisa faz com o amor seja impossível. Tem outra pessoa no meio para atrapalhar o casal.
O casal: Milo (Kit Harrington) e Flávia.
Quem atrapalha: Senador Severus.
Milo não faz tudo pra conquistar a moça, na verdade. Ele tem ciência de sua condição e da condição dela. mas o universo conspira a favor deles. Bem... boa parte do tempo.
Pode pareceer clichê essa estrutura de herói-vilão, mas, apesar disso, Pompéia é um bom filme. Vale a pena ver pelos efeitos visuais, pela fotografia e, para as meninas, pelo Kit Harrington. :)


quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Tag Falando de Livros

Olá!
Vi essa tag no blog Bisbiblogando, achei bacana e cá está.

1-Qual foi o primeiro livro que você leu?

Não lembro rs

2-Qual é o seu livro favorito?

Harry Potter. Dividida entre o Pedra Filosofal e o Relíquias da Morte.

3-Qual livro você esta lendo?

A Fúria dos Reis haha Empacada nele, é enorme. E dai uma pausa em Rei Lear pra terminá-lo.

4-Um livro que você abandonou?
Versalhes, o refúgio da última rainha.

5-Qual livro você já leu por indicação de alguém e gostou? E um que você odiou?

Me indicaram Divergente e amei. Não lembro de ter não ter gostado de um livro que me indicaram.

6-Três casais literários que você gosta?

Rony e Hermione - Harry Potter
Maia e Jordan - Instrumentos Mortais
Elizabeth e Darcy - Orgulho & Preconceito

7-Três personagens femininos que você gosta? E três personagens masculinos que você gosta?
Hermione (Harry Potter), Elizabeth (Orgulho & Preconceito), Arya Stark (As Crônicas de Gelo e Fogo)

Simon (Instrumentos Mortais), Quatro (Divergente), Jon Snow (As Crônicas de Gelo e Fogo)

8-Uma personagem que você não gosta? E um personagem que você não gosta?

Dolores Umbridge (Harry Potter e a Ordem da Fênix)
Joffrey Lannister (As Crônicas de Gelo e Fogo)

9-Qual livro você mudaria o final?

Mudarei o final de A Culpa É Das Estrelas.

10-Dois livros que você recomenda? Inserir a sinopse.

Como só pode dois...


Quem É Você, Alasca? - John Green (Resenha)

Sinopse: Miles é garoto de 15 anos que decide mudar para a escola interna Culver Creek. Lá ele acredita que encontrará o seu "Grande Talvez" e que vai fazer mais amigos do que tinha na antiga escola. E Alasca Ypung será decisiva para essa busca





O Guia do Mochileiro das Galáxias - Douglas Adams (Resenha)



Sinopse: Arthur Dent é um jovem britânico que acorda em descobre que sua cada está cercada de estranhos tratores amarelos. Esse tratores tem ordem demolir sua casa. Não só sua casa, mas todo o planeta Terra será demolida para a construção de uma estrada interespacial. Sem saber o que fazer, ele conta com a ajuda de Ford Prefect, um ator aposentado há 15 anos.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Quem é você, Alasca?

Dois meses e doze dias.
Dois meses e doze dias sem postar.
Mas enfim. Tô de volta. Eu sempre volto :v
Sem mais delongas, o texto da vez vai ser sobre um livro que realmente adorei e todos deveriam ler.
Do mesmo autor de A Culpa é Das Estrelas (confira resenha aqui), apresento-lhes "Quem é vocês, Alasca?".



De todos os livros do John, esse foi o que mais em chamou atenção depois d'A Culpa. Estava ansiosa pra ler mais livros dele (ainda estou. Cidades e Papel e O Teorema Katherine que me aguardem) e demorei de achar esse, sempre estava esgotado (quando comprei, o vendedor disse que eu era sortuda, pois era o último da loja. YAH!).

Pois então, vamos à história.
Miles Halter é um rapaz de 15 anos que , em busca do Grande Talvez, se muda para o colégio interno Culver Creek. Lá ele conhece Chip Martin (ou Coronel), seu colega de quarto, Alasca Young, uma garota cheia de vida, misteriosa, um tanto solitária e a mais bonita que Miles já viu, e Takumi, amigos do Chip.

O livro tem foco narrador-personagem, tem uma linguagem simples, leve e a leitura é rápida e deliciosa. Eu li numa tarde/noite e devo dizer que amei. E numa cena eu joguei o livro na parede. O livro é relativamente fino, dá pra ler e mais ou menos dois dias.

Agora, o que seria esse grande talvez?
Pra cada um pode ser uma coisa diferente. Pro Miles é sua ida para a pra Culver Creek. Ele acha que lá ele terá a chance de ter uma vida menos chata e quem saber fazer mais amigos. E Alasca terá um papel fundamental na busca pelo Grande Talvez.

recomendo muito esse livro. É o primeiro livro do John, com certeza ele mandou bem.

sábado, 16 de novembro de 2013

Em Chamas

Olá!
A resenha de hoje vai ser sobre um dos filmes mais aguardados desse ano: Em Chamas.



É o segundo filme baseado na trilogia de Suzanne Collins. Entramos mais uma vez na vida de Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence), Peeta (Josh Hutcherson), Gale (Liam Hemswhort), entre outros, depois da última edição dos Jogos Vorazes.
Katniss e Peeta entram em turnê para visitar os outros distritos, mas antes, Katniss recebe a visita do presidente Snow. Ele sabe que Katniss e Peeta não namoram de fato, e diz para ela que tem acontecido alguns levantes pelos distritos oriundos da atitude dela nos Jogos. Cabe a ela, ele diz, conter esse levantes demostrando que está de fato apaixonada por Peeta e, principalmente, convencer a ele dos sentimentos dela por Peeta.
Nesse anos acontecerá a 75ª edição dos Jogos Vorazes, assim, coincide com o 3º Massacre Quaternário, onde os Jogos tem um significado especial.
Dessa vez, os tributos serão escolhidos entre os vencedores das edições anteriores. Ou seja: Katniss irá volta pra arena.


Want a sugar cube?

Agora, ela e Peeta terão de preparar de novo para saírem vivos de lá. Ou pelo menos um deles.
Eu aguardei ansiosamente por esse filme. Não me decepcionei. Ficou perfeito. Atuações afiadíssimas, fotografia, roteiro...Tudo excelente. Recomendo.